Todos nós conseguimos lembrar de propagandas icônicas que nos marcam de tal forma que a menor menção ao comercial já é suficiente para avivar nossa memória. Você se lembra do comercial do garoto bombril? E daquele sobre uma garota que recebe seu primeiro sutiã Valisère: “o primeiro sutiã a gente não esquece”? Esse é quase um curta-metragem e chega a ter até um tom poético.

Acontece que essas propagandas têm nos bastidores um mesmo nome em comum: Washington Olivetto. Além de conceber obras de arte em forma de propaganda, ele também compartilha a sua experiência com vários empreendedores pelo Brasil afora.

Nesse artigo, quero conversar com você sobre algumas lições que o mago da propaganda pode nos ensinar.

O começo da carreira

Washington Olivetto é um publicitário brasileiro que preside uma das mais renomadas agências publicitárias no mundo, a WMcCann. Talvez olhando para o profissional que ele se tornou seja difícil de imaginar que tudo começou com um pneu furado.

Desde jovem Olivetto via na publicidade a oportunidade de conciliar duas de suas paixões: a leitura e as vendas, algo que foi muito aguçado na sua adolescência pelo emprego do seu pai. Ele estava um dia a caminho da faculdade de Publicidade quando o seu pneu furou bem em frente a uma agência de propaganda.

Aqui começou a ousadia de Olivetto: em vez de trocar o pneu, ele entrou na agência, conversou com o dono e disse:

Eu estou aqui por causa de um pneu furado e isso é uma grande oportunidade para você, porque o meu pneu não fura duas vezes na mesma rua”.

E a estratégia deu certo: Olivetto conseguiu um estágio na agência e, três meses depois, ele já fazia o seu primeiro comercial. Ele é um ponto tão fora da curva que esse comercial ganhou um Leão de Bronze no Festival de Publicidade de Cannes, que é o Oscar da Publicidade. Ele tinha um talento tão nato que não chegou nem a terminar a faculdade de Publicidade, mas seu reconhecimento e prestígio só cresciam.

Depois de algum tempo, uma agência maior de publicidade, a DPZ, contratou Olivetto e ele trabalhou lá por 14 anos. E talvez você esteja pensando: como um cara assim tão genial pode trabalhar para os outros por tanto tempo?

O próprio Olivetto diz que não tem dúvida alguma de que ficar muito tempo numa boa empresa (como a DPZ) foi algo positivo pois ele só aprendeu. Mas no momento em que ele percebeu que já havia feito de tudo na DPZ, ele decidiu criar a sua própria agência e trilhar seu próprio caminho.

O divisor de águas na vida de Olivetto

Nesse momento, ele notou que tudo mudava na sua postura profissional: ele deixaria de colaborar com os valores de outros e passaria a comunicar os seus próprios valores.

E eu acho muito interessante a forma como ele encarou toda essa mudança. Acho que podemos tirar um grande aprendizado disso tudo. Olivetto diz que:

Fazer o próprio negócio, no fundo, é fácil. É como se você estivesse em cima de uma grande montanha e tivesse que passar para a outra. A distância é de apenas 30 cm, mas na hora você só vê o buraco.”

E ainda falando sobre mudança de postura, ele reconhece muito bem que precisou mudar a sua forma de agir quando passou a ter o próprio negócio. Ele costuma dizer o seguinte:

Enquanto empregado sempre me comportei como dono, assumindo responsabilidades e riscos. Quando virei dono passei a me comportar como empregado, com humildade do profissional que está aprendendo, com a delicadeza de alguém quem ainda quer paparicar alguém.”

Hoje, o Olivetto está colhendo os frutos de todo esse posicionamento consciente que ele fez anos atrás. As suas propagandas são quase filmes de curta-metragem, tamanha é a sua genialidade.

Qual a chave de todo esse sucesso?

Encontre um lugar para conciliar suas paixões.” Essa é a resposta que o próprio Olivetto dá para essa pergunta. Ele uniu a paixão pelo pai vendedor e pela escrita e encontrou um lugar: o mundo da propaganda.

Ele se realiza na publicidade porque, para ele, “o trabalho do criador de publicidade é seduzir com inteligência”. A realização não vem só pelo retorno financeiro dos projetos ou pelo prestígio. Isso é só o reconhecimento por entregar aquilo que você tem melhor e mais autêntico.

Além de (1) ter encontrado o seu lugar para conciliar suas paixões, (2) ter aproveitado as oportunidades com audácia e ambição e (3) ter tido coragem de dar o passo de abrir o seu próprio negócio, o Olivetto tem ainda uma quarta lição para nos ensinar. Essa é a maior de todas, a meu ver. Nas palavras do próprio Olivetto:

A aventura pode ser louca, desde que o aventureiro seja lúcido”.

Isso significa que tudo, exatamente tudo, pode ser utilizado a seu favor. Sabe aquela história de que “não existe derrota, mas sim acúmulo de experiência”? É bem por aí. Nas palavras do Olivetto: “Sempre fui do útil ao fútil, porque sei que nada é inútil para quem precisa conhecer todas as linguagens”.

A sua zona de conforto, às vezes, pode ser seu pior inimigo. Saber dialogar, como diz o Olivetto, do útil ao fútil, é você viver novas experiências e não se limitar ao que todos fazem. É sair da bolha social que a gente vive e respirar novos ares, conhecer outros profissionais e ampliar os nossos horizontes.

Trazendo tudo isso para a sua carreira

Olhando para a carreira do Olivetto, a gente consegue perceber que apesar de todo talento, apesar de todas as boas oportunidades que ele teve, existe algo além. Eu enxergo esse algo a mais como ambição.

Mas não aquela ambição mesquinha, aquele sentimento negativo, não! Mas uma ambição de construir coisas grandes, de se arriscar por aquilo que te realiza e de dar passos concretos. É um sentimento de magnanimidade.

E o que vou dizer agora pode até parecer contraditório, mas esse desejo de construir coisas grandes, essa magnanimidade, é muito melhor desenvolvida quando deixamos o ego de lado e agimos com humildade. Afinal, como diz o próprio Olivetto:

Melhor ser co-autor de muita coisa importante do que autor solitário de algo medíocre”.

Depois de toda essa reflexão sobre a carreira desse grande profissional, eu tenho certeza que você vai ter muito mais motivação para agir com ousadia e ambição para construir coisas grandes.

Me conta aqui nos comentários: qual o lugar no qual você concilia as suas paixões? Quais passos você precisa dar para atingir a suas maiores realizações?

E se você quer aprender como agir com mais ambição e como ter uma vida épica, eu tenho um vídeo perfeito pra você lá no meu canal do Youtube: uma entrevista com meu colega Wendell Carvalho e que pode te trazer muitas respostas.

Compartilhe esse texto com outras pessoas que possam estar a procura dessa magnanimidade na vida e me siga nas redes sociais para continuar tendo acesso a esse conteúdo e muito mais… Tenho preparado muitas novidades para você!

Deixe seu comentário


INSCREVA-SE

Receba insights na sua caixa de e-mail e dar vida ao seu negócio.

Essência de Valor © Todos os Direitos Reservados - 2017

Top