Por mais redundante que essa pergunta pareça, saber o porque fazemos aquilo que estamos fazendo nem sempre é fácil.

Será que você tem prestado atenção nisso todos os dias, nas coisas que você fala para você mesmo, que você fala para as pessoas ao redor de você e, principalmente, que você fala para sua equipe? Afinal, por que você é empreendedor? Porque você é empresário?

A reflexão sobre essas perguntas pode trazer grandes benefícios para o seu crescimento profissional.

Resultado de imagem para famille entrepeneur

Uma breve história

Deixa eu te contar uma história do porque eu estou te fazendo estas perguntas.

Eu estava numa roda de empresários e um deles, que era pai, estava comentando sobre a dificuldade de sair de casa todos os dias para trabalhar. Boa parte das vezes que ele saía, acabava sendo questionado pelo filho: “Pai, por que você tem que viajar toda vez a trabalho?

O pai, buscando ser compreendido pelo filho, respondia: “Filho, se você tem essa casa que você tem, se você estuda no colégio que você estuda, se você pode você pode ir ao seu personal trainer, se você pode ter o seu cachorro, comer as coisas que você gosta, viajar todo ano… É por tudo isso que o pai precisa trabalhar.

A resposta que esse empresário dava era próxima à que muitos de nós dariam. Talvez você, que está lendo essa história, não tenha percebido nada de errado na fala desse pai. Mas, naquele momento, fiquei tão intrigada que decidi perguntar ao empresário: “Você gosta de fazer o que você faz ou você está fazendo isso única e exclusivamente pelo dinheiro?

Ele me respondeu: “Não, eu faço isso porque gosto.

Então você gosta de ser empresário? Você gosta de sair? Você gosta de fazer os seus cursos, de aprender coisas novas?

Sim, eu gosto. Eu gosto de fazer isso.

Você percebe que a verdade que você está falando para você é muito diferente da verdade que você conta para os outros? Porque se para você, de acordo com o que você diz para o seu filho, é um sacrifício e é única e exclusivamente pelos bens materiais que você trabalha, é isso que ele vai levar para a vida.

A moral da história

Não é difícil perceber que, muitas vezes,  não conseguimos exprimir as nossas motivações e desejos com toda a profundidade necessária. Pode até ser que o pai empresário trabalhava para ter dinheiro, mas não era só isso. Essa não era uma verdade plena, era apenas uma parcela da realidade.

É preciso entender que essa falha na comunicação faz com que nossas reais motivações sejam mal compreendidas. Pode te levar até mesmo a propagar uma verdade que não é sua, criando uma ideia falsa sobre aquilo que você almeja. Isso gera impacto em três momentos muito importantes da sua vida:

  1. A verdade que você fala para você mesmo, sobre as suas convicções pessoais.
  2. A verdade que você está deixando para aqueles que amamos (o filho, no caso da história).
  3. A verdade que você está dando para sua equipe.

Se a única verdade que você comunica são os bens materiais, as pessoas que estão trabalhando para você também trabalharão por sacrifício, por bens materiais. E qual o impacto sobre uma equipe a partir do momento que ela está trabalhando única e exclusivamente por desejo financeiro? O resultado disso, todos sabemos: o turn over, os constantes pedidos de aumento de salário, colaboradores que te trocam por R$100 a mais oferecidos por um outro empresário…

E para as pessoas que você ama, seus familiares, seus filhos? Muitos deles são os futuros produtores desse país, os futuros empreendedores, os futuros empresários… Você é um espelho para eles, talvez até mesmo procurem trilhar o mesmo caminho que você seguiu. Qual é a verdade que você quer contar para eles? De que realmente trabalhar é um sacrifício e que única e exclusivamente você vai atrás de bens materiais, quando na verdade você está indo atrás de algo que te impulsiona de verdade, que é um amor pelo o que você faz?

Cuidado com que você está contando. Isso pode virar uma verdade para você, para as pessoas mais importantes ao redor de você e, principalmente, dentro da sua empresa.

Um exercício para crescer na verdade

Comunicar bem as nossas convicções e verdades é um hábito que podemos melhorar dia após dia. Este é um exercício muito importante para tornar-se um líder cada vez melhor e essencial para saber como motivar aqueles que estão ao nosso lado. A primeira etapa consiste em procurar a resposta para algumas poucas perguntas:

  1. O que estamos comunicando como verdade aos outros?
  2. Como aquilo que contamos aos outros têm se tornado verdade em nossas vidas?
  3. Quais verdades nos têm sido comunicadas pelos outros e como elas ditam aquilo que pensamos?
  4. Se alguém próximo a mim me comunica uma verdade que percebo não ser plena, como posso ajudar essa pessoa a expressar melhor as suas convicções?

Todo este tema que estamos tratando aqui é sobre posicionamento, a forma como expomos os nossos valores. Mas este é um tema para uma outra ocasião, porque posicionamento nos leva a uma discussão muito mais longa, com muito mais pano pra manga.

Eu quero te perguntar, por enquanto, é porque você está fazendo o que você está fazendo. E a essa altura você deve perceber que essa pergunta não possui uma resposta tão simples quanto pensava…

Uma vez que essas respostas estão mais claras, você pode passar para a segunda etapa do nosso exercício: compartilhar. Não basta que suas verdades estejam claras para você, é preciso que você saiba comunicá-las de forma eficaz.

Compartilhe as suas convicções, as suas verdades com os outros: com as pessoas que você ama, com os colaboradores da sua empresa, com os membros da nossa equipe e com a comunidade aqui do Essência de Valor.

E então, quais são as questões que você está contando para você e que está virando realidade na sua vida?

Deixe seu comentário


INSCREVA-SE

Receba insights na sua caixa de e-mail e dar vida ao seu negócio.

Essência de Valor © Todos os Direitos Reservados - 2017

Top